Uma outra pergunta que me fazem sempre é sobre meditação espiritual. Quantos de nós se dedica 10 minutos por dia para meditar? É uma das maiores dificuldades que tenho visto nas pessoas desde que me conheço por gente: parar para ouvir.

Meditar é ouvir. A si mesmo (corpo, mente e espírito), a Deus, ao Universo. À natureza.

O autoconhecimento começa com a meditação. E se não meditarmos, não nos conheceremos a fundo.

Quando eu descobri que estava com depressão, logo entendi que tinha que fazer algo por mim, pois não podia continuar daquele jeito e nem queria tomar remédios e nem ficar dependente de terapias. Como eu já conhecia a Lei da Atração e O Segredo e algumas práticas espiritualistas, a primeira ideia que me veio à cabeça foi a de mudar meus hábitos diários. Mudei a alimentação, o ritmo de trabalho e passei a acordar às 5 da manhã para fazer meditação, alongamento e caminhada (minha vida estava muito sedentária), para tentar buscar o equilíbrio interno. Procurei meditações e vídeos no Youtube e artigos diversos relacionados à Lei da Atração e aos assuntos que ela trata, como perdão e autoperdão, gratidão, desapego, mente e dinheiro, abundância e prosperidade em todos os setores da vida, realização pessoal, pensamento positivo, etc.

Foi o início da minha grande e interminável jornada de autoconhecimento consciente e da minha nova vida.

Meditar não é complicado, existem vários tipos de meditação e você irá encontrar o que melhor se adapta a você. Eu gosto muito de meditações guiadas, mas tem dias que eu sinto muita necessidade de silêncio total e apenas fico quieta, com ou sem música, deixando que os pensamentos fluam através de mim sem cobrança de nenhum tipo.

Nos próximos parágrafos, explicarei um pouco sobre a meditação, usando como tópicos algumas das perguntas que tenho recebido.

Quais são os benefícios da meditação e porque devo meditar

Conversando com uma pessoa conhecida tempos atrás sobre meditação, ela me explicava que não “suportava” fazer meditação, que no seu trabalho a empresa havia implantado momentos de meditação, mas que ela não conseguia ficar “quieta”, “parada”, e por isso não tinha se adaptado à prática da meditação.
É incrível como a correria moderna do dia a dia transformou o ser humano, que de selvagem “apreciador da natureza e de si mesmo”, passou ao moderno “não tenho tempo nem para mim mesmo”, o que trocando em miúdos, seria “não sei quem sou e não tenho tempo para descobrir”.
Será mesmo que ganhamos com essa troca?

Mantras para relaxar
A raiz de todo o sofrimento, seja físico, mental, emocional ou espiritual, é a crença errônea de que nós estamos separados do nosso Criador e uns dos outros.
Essa crença e a culpa por ela criada estão dentro da nossa mente inconsciente, e inconscientemente nós as projetamos para fora e para o mundo, criando nossas experiências de dor e sofrimento.
O primeiro passo para acabar com o sofrimento, a dor e a culpa é tomar consciência dessa nossa crença inconsciente errônea de que estamos separados de Deus ou do Universo. Somos todos um! E a Lei da Atração fala sobre isso.
Quando meditamos, descobrimos a verdade de quem realmente somos – Puro Espírito, um com Deus – ao abrirmos mão do passado e do futuro e relaxarmos no momento presente. Como diria Alan Cohen: Se você quer encontrar Deus, dê uma paradinha no espaço entre os seus pensamentos!
Ao praticar alguma forma de meditação espiritual diariamente, nosso emocional e saúde mental física melhoram drasticamente.
Durante a meditação, praticando o desapego ao passado e ao futuro e nos abrindo para a Fonte de toda a sabedoria que está dentro de nós, também podemos ter intuições sobre os problemas diários, como saúde, trabalho, finanças ou relacionamento. Está tudo em nossa mente.
A meditação irá lhe ajudar a se conhecer melhor, buscar respostas para suas dúvidas, soluções para os seus problemas. Isso irá melhorar a sua qualidade de vida e, consequentemente, a dos outros ao seu redor e do Universo como um todo. Não esqueça, somos todos um!
A seguir falarei sobre os tipos de meditação.

Qual tipo de meditação espiritual é mais adequado para os iniciantes?

Na minha opinião não existe tipo mais adequado para iniciantes ou experts, o que existe é a mais adequada para cada tipo de pessoa.
Porém, os iniciantes devem criar o hábito da meditação e, para isto, devem fazer pequenos ajustes no seu estilo de vida procurando remover os obstáculos e aumentar a sua motivação.
A melhor maneira de desenvolver a motivação é, primeiro, entender quais são os seus verdadeiros valores – objetivos, desejos, aspirações na vida e, em seguida praticar a meditação de acordo com estes valores.
Existem centenas, senão milhares de tipos de meditação: guiada, do silêncio, da observação da respiração, da chama da vela, com música ou sem música em silêncio, com música cantando junto, com mantras, consciente, em alfa, em beta, dos chacras, das cores, através de oração, com os olhos abertos, fechados, etc. Não tenho como abordar todos aqui, mas darei um panorama geral que já irá lhe ajudar a colocar a sua meditação em prática.
Normalmente a meditação espiritual é classificada pela ciência em 2 categorias de acordo com o foco de atenção: atenção focada e monitoramento aberto. Existe ainda uma terceira, proposta recentemente: presença espontânea. E dentro dessas categorias existem os tipos gerais de meditação.

treinamento coaching

A meditação com atenção focada é a pratica de pensar sobre alguma coisa, como a respiração, um mantra, a visualização de algo, uma parte do corpo, um objeto externo, etc.
Já na meditação com monitoramento aberto, se considera todos os aspectos da nossa experiência, sem julgamento ou apego.
Na meditação da presença espontânea a atenção não está focada em nada em particular, mas repousa sobre si mesma, na calma, no vazio, na estabilidade e na introversão. É o verdadeiro propósito por trás de todos os tipos de meditação.
Um estudo realizado por Lorenza Colzato e seus colegas da Universidade de Leiden (Bélgica), publicado na revista científica Frontiers in Cognition, confirmou o que já se sabia sobre a relação entre a meditação e a criatividade e o fato de que certas técnicas de meditação reforçam o pensamento criativo mais do que outras.
Nesse estudo, as meditações do tipo monitoramento aberto se mostraram mais eficazes no aumento da criatividade. Portanto, abra a sua mente!!!
Independentemente da categoria ou do tipo de meditação que você escolher, eu lhe sugiro sempre fazer uma preparação, que no meu caso é uma oração de 4 etapas e um relaxamento muscular acompanhado de um mantra para relaxar que irei explicar no próximo tópico.

Por que tenho dificuldade em meditar?

Como comentei no tópico anterior, com o exemplo da minha amiga, muitas pessoas têm dificuldade de meditar porque não conseguem se concentrar, não querem ficar paradas por algum tempo por falta de paciência ou têm verdadeiro pavor de começar o processo de autoconhecimento, o que a meu ver, é o motivo mais grave, pois é claramente uma tentativa de autossabotagem! E pode apostar que por trás da grande maioria dos casos de falta de paciência e de capacidade de concentração, se esconde este medo de descobrir quem se é ou quem não se é, o que irá mexer com a zona de conforto!
Outro obstáculo são as distrações que podem fazer você perder a hora da meditação espiritual: estar ocupado com outras atividades, achar que não está conseguindo meditar corretamente, a falta do pensamento positivo e a autocrítica, mudança de rotina (por exemplo, por uma viagem, compromisso ou doença), desmotivação, expectativa na própria meditação, etc.

refletir com harmonia
Se você não consegue meditar nas primeiras vezes, não pare, insista! O foco, no início, está voltado fortemente para a construção do hábito e não tanto para a “qualidade” da sua experiência de meditação.
Comece a evitar fazer algumas coisas que podem lhe distrair antes da meditação. Isso já é um primeiro combate à autossabotagem.
Se estiver desmotivado, repasse mentalmente os motivos que o levaram a querer fazer meditação espiritual e reencontre a motivação!
Também deixe de lado a pressa em querer conseguir resultados imediatos com a meditação. Essa ansiedade causada pela expectativa é nociva e vai contra a filosofia do meditar. Meditação é um estilo de vida, é um ato de higiene diário, como tomar banho, só que mental e espiritual!
A meditação espiritual é, para mim, o maior treinamento de desenvolvimento pessoal que existe e, como a própria palavra desenvolvimento significa, é o aumento da capacidade ou das possibilidades de algo, é crescimento, progresso, adiantamento. Portanto, um processo contínuo…
Vou lhe dar uma dica de como eu faço para meditar e que eu uso há tempos e me faz sentir muito bem. Você poderá segui-la em parte ou no todo, de acordo com a sua preferência, disponibilidade e necessidade:
– Acordo às 5 da manhã para meditar, porque tendo 2 filhos pequenos que estudam em casa comigo e trabalhando em casa junto com meu marido, é o único horário que eu tenho sossego. Sempre gostei de dormir e acordar cedo. Mas se você é um notívago, não tem problema, pode trocar o levantar cedo, por ir para a cama depois de todo mundo. O silêncio também será o mesmo. E se você for um sortudo que pode fazer a meditação durante o dia porque tem um aposento específico para isso ou pode usufruir de momentos de silêncio, então já tem meio caminho andado!
– Acendo um incenso e coloco uma música new age bem suave. Se não gostar de incenso nem de música, pule esta parte!
– Mantenho as luzes apagadas ou uso um tapa-olho para aumentar a minha concentração. Mas se o escuro lhe causar sono, medo ou ânsia, tranquilo, deixe as luzes acesas ou a janela aberta! O importante é sentir-se bem!
– Começo com um relaxamento físico, mental e espiritual: respiração com mantra do ho’oponopono em 4 tempos: sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Inspirando enquanto digo as 4 palavras, prendendo a respiração enquanto digo as 4 palavras, depois expirando enquanto digo as 4 palavras e segurando os pulmões vazios enquanto digo as 4 palavras. Por 3 vezes é suficiente.

Para quem conhece o mantra para Ganesh para eliminar obstáculos, pode substituir o ho’oponopono por ele: om, gam, ganapataye, namaha.

Ou ainda usar os 2: ho’oponopono na inspiração e Ganesh na expiração. Inspiro amor, perdão, gratidão e expiro todos os obstáculos negativos da minha vida.

Mas se você não quiser seguir nenhum mantra, sem problemas, basta fazer a sequência de respiração em 4 tempos que funciona da mesma forma para relaxar!
– Faço uma parte espiritual, porque para mim é indispensável, mas se você não for religioso, não tem problema, pule esta parte.

Eu rezo um pai nosso, cumprimento meu mentor/anjo da guarda e todos os seres de luz nos quais eu acredito (cada um tem os seus: Jesus, Buda, anjos e arcanjos, Ganesh, Shiva, Maria, Nossa Senhora Aparecida, São Miguel, São Jorge ou simplesmente Deus). Depois faço uma oração (eu uso o método de 4 etapas: 1- agradecer por tudo, 2- doar energia, amor ou intenções para o Universo, 3- pedir pelos outros, 4- pedir para mim e minha família direta.

– Aqui irá variar de acordo com o dia e como eu me sinto. Poderá ser:

  • Meditação guiada com algum assunto que eu preciso trabalhar em mim, como perdão, autoperdão, autossabotagem, crenças limitantes, raiva, etc.
  • Meditação dos chacras, para sentir melhor os pontos energéticos e o que eles têm a me dizer e alinhá-los energeticamente.
  • Meditação das cores agindo nos chacras e partes do corpo que eu tenha necessidade.
  • Meditação da chama da vela ou do incenso. É uma meditação espiritual de observação do exterior usada para “desviar” a mente dos problemas.
  • Meditação do silêncio. Ficando quieta para sentir meu corpo e a minha mente.
  • Meditação da visualização, para focar em algo que quero materializar na minha vida. Essa é, particularmente, uma das que mais gosto.
  • Meditação de reprogramação mental com frases de afirmações quânticas. Como por exemplo as da Raquell Menezes.
  • Meditação de cura
  • Meditação da gratidão (Louise Hay)

E tantas outras meditações que conheço.
A seguir falaremos da música na meditação.

Preciso ouvir música durante a meditação espiritual?

Muitos não acreditam que seja possível meditar ouvindo música, provavelmente estas pessoas devem ter sido expostas a métodos de meditação espiritual mais convencionais, como a prática de mantras ou concentração na própria respiração. Outros pensam que para meditar com a música, é necessário que esta seja do tipo relaxante ou new age.
Eu particularmente prefiro meditar com músicas suaves e instrumentais, porém, foram inúmeras as vezes em que eu “viajei” no meu íntimo ouvindo músicas tipo rock ou pop e que falavam mais alto dentro de mim, tirando para fora sentimentos que estavam lá guardados e eu não sabia. Isso também pode ser considerado meditação espiritual.
Para você, que não gosta de música relaxante ou new age, tenho uma ótima notícia!

Música para refletir
O estilo de prática de meditação chamada de mindfulness (“atenção plena”) pode ser aplicado de muitas maneiras, incluindo ouvir a sua música favorita! Ela também é conhecida como a meditação das intuições (ou insights). E por incrível que pareça, é o tipo de meditação espiritual mais popular e procurado no mundo ocidental, especialmente por jovens.
A mindfulness explora o seu interior e as suas reações mediante determinada situação. Ela não busca atingir um estado particular, mas entender os seus sentimentos em relação àquela situação. No caso da música, você poderá explorar o seu relacionamento com a sua música preferida e o que ela causa em você do ponto de vista emocional, espiritual, mental e físico, levando-o a um percurso de autoconhecimento fantástico!
Não raro dizemos a nós mesmos ou ouvimos pessoas dizerem: – esta música me provoca sensações que não sei explicar. Descobrir isso é parte do processo de atenção plena da mindfulness.
Porém, como comentado também no tópico anterior, não é obrigatório ouvir nenhum tipo de música durante a meditação. Se você é do tipo que gosta de silêncio total, faça a sua meditação espiritual sem música, ou se preferir, poderá trocar por sons da natureza, sejam artificiais (gravações) ou naturais (vá meditar em algum lugar próximo da natureza).
Muitas vezes a meditação que nos serve é o silêncio total mesmo, para ouvir a nossa própria consciência ou a consciência de algum ser superior.
Tem uma história da Madre Teresa de Calcutá que gosto muito e conta que uma vez lhe perguntaram:

– Madre, quando a senhora ora, o que diz a Deus?

– Eu não digo nada, só escuto!

– Ah, e Ele o que lhe diz?

– Ele não diz nada, só me escuta!

A próxima pergunta é sobre tempo de meditação.

Por quanto tempo devo meditar a cada dia?

Um famoso estudo treinou pessoas novatas em meditação espiritual durante oito semanas. Os participantes concluíram o treinamento com uma média de 23 minutos de meditação diária.
No final das oito semanas, a sua atividade cerebral foi alterada de forma perceptível, e eles mostraram uma ativação bem maior das partes do cérebro que estão associadas com a sensação de bem-estar e menor ativação das partes associadas com o estresse. Também a resposta imunológica teve uma melhora considerável, com apenas 23 minutos por dia, em média.
Isso prova o quanto meditar é tão importante que, mesmo com pouco tempo de prática diária, já se nota a diferença até na atividade do cérebro humano.

Adestramento para desenvolvimento pessoal
Muitos alegam não ter muito tempo para meditar e nem começam por acreditar que só é possível se a dedicação for em quantidade.
O importante é meditar, já com 5 ou 10 minutos por dia você perceberá a diferença no dia inteiro. O ideal, logicamente, seria 90 minutos, mas entre 20 e 40 minutos já é uma bênção!
Se você se comprometeu a fazer entre 20 e 40 minutos de meditação por dia, mas em um determinado dia está muito cansado para cumprir a sua meta, sente-se por pelo menos 5 minutos. Dessa forma irá manter a sensação de estar comprometido com a sua prática, não importa quanto tempo possa se dedicar a ela, e você se sentirá melhor consigo mesmo.
Vale a pena experimentar mais tempo de prática e ver o efeito que tem. Eu pessoalmente dedico entre 1,5 e 2 horas por dia à prática da meditação espiritual, mas sei que nem todos podem fazer isso.
Meditação é algo que você tem que fazer regularmente, a fim de permitir o desenvolvimento de novos hábitos.
Aumentando o tempo de meditação, você sentirá um profundo sentimento de alegria na sua vida, como eu senti na minha, e isto será um sinal de que as coisas estarão mudando!
Bom, resumindo, a meditação deve se tornar um hábito, um estilo de vida.

Deve ser praticada diariamente por pelo menos 5 minutos, embora 90 sejam o ideal! Pode ser feita com ou sem música, no claro ou no escuro, com ou sem oração de preparação, usando mantras ou não.

São infinitas as formas de meditar e você irá encontrar a que melhor se adapta a você. O importante é começar. E não desistir!

 

Beijos no coração e fique com Deus.
Guacira

 

Pin It on Pinterest

Share This

Assistir à Série de Vídeos

Entre na lista de e-mails do Conlaos e assista aos vídeos sobre a Lei da Atração.

Clique no Botão Abaixo!

Você se inscreveu!

Inscreva-se na nossa lista

Receba informações por e-mail sobre a Lei da Atração e O Segredo:

You have Successfully Subscribed!

Assistir à Série de Vídeos

Entre na lista de e-mails do Conlaos e assista aos vídeos sobre a Lei da Atração.

Clique no Botão Abaixo!

Você se inscreveu!

Lista Conlaos Relacionamentos

 

Entre na lista de e-mails do Conlaos Relacionamentos para receber o link do vídeo que deseja assistir.

De vez em quando irei lhe mandar alguns e-mails com dicas, artigos e vídeos sobre Relacionamentos e a Lei da Atração, e queria saber se você me permite fazer isso.
Não quero lhe incomodar, nem encher a sua caixa de entrada. Se não tiver problemas, agradeço imensamente. Mas se você não quiser receber meus e-mails, tudo certo também, poderá se descadastrar clicando no link no final de cada e-mail que você receber.

Muito obrigada pela confiança e espero lhe ajudar muito e trazer informações valiosas para você.

Gratidão!
Guacira

Se aceita, digite o seu e-mail e clique no Botão Abaixo!

Você se inscreveu!